Regularização de Dívidas

Refin Agropecuário Pronaf

O Bandes, atento às necessidades dos clientes que foram financiados pelo PRONAF, obteve junto ao BNDES autorização para renegociar parcelas vincendas de seus contratos, por meio da linha REFIN-AGROPECUÁRIO 2019.

O valor da(s) parcela(s) do principal renegociada(s) será incorporado ao saldo devedor, redistribuindo nas parcelas restantes do contrato, acrescentando mais um ano ao final do contrato, sendo necessário que o emitente e os garantidores do contrato autorizem a renegociação, que será formalizada aditivo contratual.

Estão aptos a solicitar esta renegociação clientes do BANDES que possuem operações PRONAF financiadas com recursos do BNDES e que estejam adimplentes com os pagamentos das parcelas anteriores.

Premissa para viabilizar a renegociação: Pagar os juros da parcela refinanciada, como sinal.

Vale ressaltar que todas as propostas estarão sujeitas à análise e aprovação do Bandes e do BNDES, clique aqui para fazer o download do formulário.

Feito isso, encaminhe a solicitação preenchida e assinada para o e-mail refin@bandes.com.br


PASSO A PASSO - Procedimentos a serem tomados.

Para obter orientações e informações adicionais, entre em contato com o Bandes:

  • Telefone: (27) 3331-4204
  • Whatsapp: (27) 99949-4206
  • refin@bandes.com.br.

    TABELA DE PRAZOS REFIN AGROPECUÁRIO 2019

    PARCELAS COM VENCIMENTO EM:

    PRAZOS LIMITES PARA:

    ENVIO DA SOLICITAÇÕES

    RESOLUÇÃO DE PENDÊNCIAS

    PAGAMENTO DO SINAL

    FEVEREIRO 2019

    15/03/2019

    11/04/2019

    11/04/2019

    MARÇO 2019

    14/04/2019

    09/05/2019

    09/05/2019

    ABRIL 2019

    15/05/2019

    10/06/2019

    10/06/2019

    MAIO 2019

    10/06/2019

    10/06/2019

    10/06/2019

    JUNHO 2019

    10/06/2019

    10/06/2019

    10/06/2019

    JULHO 2019

    13/08/2019

    09/09/2019

    09/09/2019

    AGOSTO 2019

    14/09/2019

    09/10/2019

    09/10/2019

    SETEMBRO 2019

    16/10/2019

    08/11/2019

    08/11/2019

    OUTUBRO 2019

    14/11/2019

    09/12/2019

    09/12/2019

    NOVEMBRO 2019

    09/12/2019

    09/12/2019

    09/12/2019

    DEZEMBRO 2019

    09/12/2019

    09/12/2019

    09/12/2019


    Para a renegociação no REFIN AGROPECUÁRIO 2019 é obrigatório o pagamento dos juros da parcela refinanciada como sinal para o refinanciamento.

Segue a relação de documentos para o envio:

1) Solicitação de renegociação PRONAF – Refin Agropecuário  

A solicitação deve ser devidamente assinada pelo cliente. Clique aqui para fazer o download do formulário.

2) Laudo técnico PRONAF – Refin Agropecuário

O laudo individual deve conter a identificação (nome e número de registro no CREA) e assinatura do técnico responsável (firma reconhecida em cartório, caso o consultor não seja cadastrado no BANDES). As fotos da propriedade devem ser enviadas em arquivo com boa resolução para que seja possível a impressão. Clique aqui para fazer o download do laudo técnico.

3) Declaração de Aptidão ao PRONAF

Extrato de DAP com data de validade posterior a data do vencimento da parcela. A declaração pode ser emitida pelo site: http://smap14.mda.gov.br/extratodap/PesquisarDAP.

4) Certidão Negativa de Débito da Receita Federal

CND/MF com data de validade posterior a data do vencimento da parcela. A certidão pode ser emitida pelo site:

http://www.receita.fazenda.gov.br/Aplicacoes/ATSPO/Certidao/CndConjuntaInter/InformaNICertidao.asp?tipo=2.

5) Regularidade na execução dos investimentos

O projeto referente a solicitação de refinanciamento deve estar com a situação regular no acompanhamento junto ao BANDES.

6) Comprovação do pagamento do sinal (juros da parcela refinanciada)

ATENÇÃO:

  • As solicitações de repactuação apresentadas estão sujeitas à análise do Bandes e BNDES, e ficarão vigentes enquanto houver limite autorizado pelo BNDES, podendo o limite cessar a qualquer tempo sem prévio aviso.
  • De acordo com a Circular BNDES SUP/ADIG Nº 07/2018, e o Manual de Crédito Rural, Capítulo 10-1, letra g, a renegociação de dívida de investimento implica no impedimento de contratar novo financiamento de investimento rural com recursos equalizados pelo Tesouro Nacional ou com recursos controlados de crédito rural, em todo o Sistema Nacional de Crédito Rural.