Investidores

Gestão de Riscos

INTRODUÇÃO ÀS POLÍTICAS DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E GERENCIAMENTO DE CAPITAL

A Resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN) nº 4.557/2017, determina que as instituições financeiras devam implementar estrutura de gerenciamento contínuo e integrado de riscos e de capital. Essa estrutura deve ser compatível com o modelo de negócio, com a natureza das operações e com a complexidade dos produtos, dos serviços, das atividades e dos processos da instituição.

O BANDES entende o gerenciamento de riscos e o gerenciamento de capital como pilares fundamentais da estabilidade e da sustentabilidade da instituição. Dessa forma, os executivos do banco buscam, constantemente, implementar e aperfeiçoar sistemas de gestão de riscos e estruturas de controles internos que contribuam para o alcance dos objetivos de longo prazo com maior segurança, confiabilidade e dentro das normas estabelecidas. Os objetivos estratégicos do Bandes se alinham com sua missão, visão e valores fundamentais. Para o alcance desses objetivos, o Bandes define os níveis aceitáveis de riscos que deseja incorrer e mantém controles efetivos para sua identificação, mensuração, mitigação, monitoramento e comunicação, além de gerenciá-los por meio de processos específicos que enfatizam a integridade, a efetividade, a prudência, a responsabilidade pública e a aderência aos requisitos legais aplicáveis.

Para os diversos tipos de riscos, sendo estes mensuráveis ou não, o Bandes estabelece políticas e abordagens de monitoramento e reporte, conforme definido na sua Declaração de Apetite a Riscos (RAS) e estabelece, também, o Diretor-Presidente como responsável pelo gerenciamento de riscos (CRO).