Investidores

Governança Corporativa

Conforme definição do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), “Governança Corporativa é o sistema pelo qual as organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre proprietários, conselho de administração, diretoria e órgãos de controle.”

O Bandes busca permanentemente aperfeiçoar seus processos e ações, visando adotar as melhores práticas de governança corporativa, com a finalidade de disponibilizar informações relevantes para seus usuários e tratamento justo aos acionistas e a todas as partes interessadas. O modelo de governança corporativa do banco está fundamentado nos princípios de ética, transparência, equidade, prestação de contas e responsabilidade de seus administradores.

Conforme definido no Estatuto Social do Bandes, a Assembléia Geral dos acionistas é o órgão supremo, com poderes para deliberar sobre todos os negócios de interesse do BANDES.

O Conselho de Administração é órgão de deliberação colegiada, em nível estratégico de organização, orientação, supervisão, coordenação, controle e avaliação dos interesses superiores do Bandes, bem como dos seus objetivos e programas.

A Diretoria Executiva, sob forma de colegiado e composta pelos diretores responsáveis pelas áreas, em conformidade com as atribuições definidas no Estatuto Social do Bandes, é órgão de administração geral, subordinada ao Conselho de Administração, cabendo-lhe o exercício das atividades operacionais e administrativas necessárias ao regular funcionamento do Bandes.

Paralelamente à estrutura formal, o Bandes adota, também, uma Estrutura de Administração por Comitês temáticos, os quais têm a função de subsidiar as tomadas de decisão pelas instâncias superiores, em todos os assuntos relevantes da Instituição, bem como garantir o alinhamento estratégico, a partir da uniformização de conceitos e diretrizes, obtendo uma execução mais eficaz dos projetos e iniciativas que levarão ao alcance dos objetivos traçados.

O Bandes possui Conselho Fiscal permanente, sendo-lhe atribuída, principalmente, a função de fiscalização dos atos dos administradores e análise de balancetes e demais demonstrações financeiras elaboradas periodicamente.

As demonstrações financeiras são auditadas por empresa de Auditoria Externa Independente, registrada na CVM. As atividades de auditoria interna para cumprimento dos requisitos estabelecidos na Resolução CMN nº 2.554, são realizadas por empresa de Auditoria Independente, diferente daquela responsável pela auditoria das demonstrações financeiras, reportando-se diretamente ao Conselho de Administração. O Bandes mantém, ainda, unidade de Auditoria Interna, subordinada à presidência, com objetivo de auxiliar a Diretoria na avaliação da conformidade dos processos mais relevantes.

As atividades do Bandes estão sujeitas também à fiscalização e supervisão do Banco Central do Brasil, do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo, e dos órgãos supridores dos recursos financeiros que são repassados pela Instituição.

À unidade de Ouvidoria do Banco, compete assegurar estrita observância das normas legais relativas aos direitos do consumidor, atuando como canal de comunicação entre a instituição, seus clientes e usuários de produtos e serviços, inclusive na mediação de conflitos.