Segurança

SMS, Whatsapp, Telegram

Golpe clonagem do Whatsapp

Atualmente, a clonagem do Whatsapp é algo comum. É cada vez mais frequente ouvimos que alguém teve o Whatsapp clonado, e que um (ou mais de um) de seus contatos transferiu determinada quantia de dinheiro para o golpista.

A clonagem permite que o golpista tenha acesso a dados pessoais (normalmente nome, telefone e imagem, mas nas conversas podem ter e-mails, dados financeiros, credenciais de acesso, senhas, áudios, vídeos, etc.), permitindo que sejam usados para golpes como os abaixo:

a) Solicitação de transferência: Os golpistas entram em contato com vários contatos, se passando pelo titular, informando que está com dificuldade financeira momentânea, solicitando que seja realizada a transferência para uma conta, que será ressarcido no dia seguinte;

b) E-mails permitem que o golpista envie ataques phishing ou ransomware aos contatos;

c) Solicitação de pagamento em troca da não divulgação dos dados roubados. Com a entrada em vigor da LGPD, o tratamento indevido de dados implica em sanções e penalidades;

d) Uso dos dados pessoais, se passando pelo titular, para efetuar compras, empréstimos, financiamentos, etc.


Diante dessa realidade, é fundamental estar atento às mensagens e ligações recebidas nessas plataformas, observando dicas como as abaixo:

- Não considere que uma mensagem é confiável com base na confiança que você deposita em seu remetente, pois ela pode ter sido enviada de contas invadidas, de perfis falsos ou pode ter sido forjada;

- Desconfie de mensagens com links;

- Evite acessar links recebidos por essas plataformas. A verificação da autenticidade da mensagem é mais difícil do que em um e-mail. Ainda assim, caso seja necessário, opte por buscar a página em questão digitando o endereço no navegador.

- Desconfie de mensagens que tentem induzi-lo a fornecer informações, instalar/executar programas ou clicar em links;

- Questione-se por que instituições com as quais você não tem contato estão lhe enviando mensagens, como se houvesse alguma relação prévia entre vocês (por exemplo, se você não tem conta em um determinado banco, não há porque recadastrar dados ou atualizar módulos de segurança);

- Fique atento a mensagens que apelem demasiadamente pela sua atenção e que, de alguma forma, o ameacem caso você não execute os procedimentos descritos;

- Desconfie de arquivos anexados à mensagem mesmo que tenham sido enviados por pessoas ou instituições conhecidas (o endereço do remetente pode ter sido falsificado e o arquivo anexo pode estar infectado);

- Se for possível, habilite a autenticação em duas etapas, isso garante maior segurança;

- Caso receba mensagens suspeitas com links por SMS, Whatsapp, Telegram ou similares, entre em contato com o Bandes Atende (0800 283 4202) e comunique o fato.